Unisseixal

Parabéns à Unisseixal pelos seus 15 anos realizados no passado Sábado dia 15 de Janeiro. Projetos como este são sempre de louvar, porque veio tirar de casa muitos idosos, fazê-los acordar de novo para a vida, evitando assim muitas doenças associadas ao sedentarismo.

Hoje é Dia Internacional do Riso, não podemos deixar de associar a Unisseixal a este dia, porque Ela criou e continua a criar tantos sorrisos nos seus alunos, contribuindo para melhorar a sua saúde e bem estar no dia a dia, fazendo com que os anos passem sem se notarem.

Parabéns também a todos os que continuam a dar o seu melhor para que este projeto continue a proporcionar este serviço de excelência. 

Muito obrigado

Fernando Rosa (aluno)

 

Dia Mundial da Paz

A atualidade e pertinência das propostas de Francisco não devia passar ao lado dos políticos, diz à Renascença o padre Tony Neves, para quem investir menos em armas e mais em educação é uma das chaves para o desenvolvimento, que é urgente pôr em prática.

A luta contra a pandemia vai continuar a ser o grande desafio em 2022, ao qual tem de se responder com mais “fraternidade” e “solidariedade”, diz o padre Tony Neves.

Em entrevista à Renascença a partir de Roma, o missionário português - que integra o governo geral dos Espiritanos - olha para o atual momento na Igreja, e recomenda a todos, mas sobretudo a quem tem poder de decisão, a leitura atenta da mensagem do Papa para o Dia Mundial da Paz.

Como é que perspetiva este novo ano? Quais são os principais desafios que se avizinham?

 

2022 tem pela frente uma série de combates. O primeiro é este da pandemia: temos de acabar com ela, senão ela acaba connosco, e isso implica darmos as mãos, implica deitar fora muitas “fake news” que circulam e que fazem com que à escala mundial as pessoas comecem a ter medo da vacina, a desconfiar que o combate à pandemia não está a ser bem conduzido, e isso tem sempre o efeito terrível das pessoas desmazelarem o combate, e vão aparecendo novas estirpes e variantes que serão cada vez mais duras.

Ler mais

Dia Internacional dos Migrantes

Numa altura em que os movimentos migratórios continuam a aumentar, o secretário-geral da ONU, António Guterres, considera que a migração é um motor poderoso do crescimento económico, de dinamismo e de compreensão que “permite que milhares de pessoas procurem por novas oportunidades, beneficiando tanto as comunidades de origem como as de destino.”

Uma semana depois da aprovação do Pacto Global para a Migração Segura, Ordenada e Regular, o secretário-geral lembrou que “quando mal regulada” a migração pode “intensificar as divisões dentro e entre as sociedades, expor pessoas à exploração e ao abuso e minar a confiança no governo.

Direitos Humanos

Guterres, sublinha que o Pacto conta com o apoio esmagador dos Estados-membros e “ajudará a enfrentar os desafios reais da migração, aproveitando os seus inúmeros benefícios” uma vez que “é centrado nas pessoas e tem raízes nos direitos humanos.”

Em mensagem especial a propósito do Dia Internacional dos Migrantes, Guterres defende que este Pacto “aponta o caminho em direção a mais oportunidades legais para migração e ações mais fortes para acabar com o tráfico humano.”

Ler mais

Nagasaki Portugal

Situada junto ao porto de Nagasáqui, hoje nem se percebe que Dejima chegou a ser uma ilha, apesar do canal que bordeja um dos lados. Uma pequena ilha de 200 metros de comprimento por 80 de largura quando construída no século XVII pelos japoneses para que os portugueses deixassem de viver na cidade, fazendo filhos e também propagando o catolicismo, e se limitassem ao comércio. "Dejima ficou pronta em 1636, mas os portugueses foram expulsos três anos depois. Quem acabou por ficar foram os mercadores holandeses. Mas os 200 anos dos holandeses não deixaram tantas marcas como os 60 anos dos portugueses cá", explica Junji Mamitsuka, vice-diretor do Turismo de Nagasáqui. Mesmo assim, a reconstrução das casas e armazéns, com recurso a documentos europeus, segue a lógica da época holandesa, com Dejima a ter sido a única porta para os produtos ocidentais até à reabertura das fronteiras em meados do século XIX.

"Os holandeses prometeram fazer só comércio. E as autoridades japonesas aceitaram, expulsando de vez os portugueses, que trocavam a nossa prata pela seda chinesa desde o século anterior", acrescenta Mamitsuka. Havia medo por parte dos xóguns da família Tokugawa de que Portugal e Espanha, então sob o mesmo rei, se unissem ao Papa para atacar o Japão. Era um receio absurdo, mas os holandeses, protestantes, promoveram o boato. Antes, já o cristianismo tinha sido proibido, com padres jesuítas e fiéis japoneses martirizados e as crianças luso-japonesas expulsas do país. Os últimos portugueses a partir foram assim os mercadores, que tinham também sido os primeiros a chegar, em 1543, a Tanegashima, a sul da grande ilha de Kyushu.

Ler mais

República de Barbados

LONDRES - Quase 400 anos depois que o primeiro navio inglês chegou às suas costas douradas, a ex-colônia britânica de Barbados acordou na terça-feira como uma república.

A minúscula nação caribenha removeu a rainha Elizabeth II da chefia de estado em uma cerimônia espetacular que começou na noite de segunda-feira, rompendo seus laços com a família real britânica - e com ela, um dos últimos laços imperiais remanescentes da ilha com o Reino Unido. 

O evento foi realizado 55 anos depois que Barbados conquistou a independência total, mas manteve o monarca no papel cerimonial. 

Com a greve da meia-noite, hora local, a nova república nasceu para os aplausos da multidão local. O momento foi marcado por uma salva de 21 tiros e a execução do hino nacional de Barbados.

Uma exibição deslumbrante de fogos de artifício, dança e música foi seguida pela primeira-ministra Mia Mottley declarando a cantora Rihanna - um nativo de Barbados, bem como uma estrela global - um herói nacional.

Ler Mais

Dia de Ação de Graças

O Dia de Ação de Graças é um dos feriados mais importantes dos Estados Unidos. Por lá, a comemoração, que acontece na última quinta-feira de novembro, supera até mesmo o Natal e o Ano Novo. Aqui no Brasil, a data não é muito popular e a celebração dos norte-americanos pode soar um pouco confusa para os brasileiros. O que, afinal, se comemora no Dia de Ação de Graças, ou Thanksgiving? E por que não é celebrado da mesma forma no Brasil?

Dar graças…?
Na última década, se popularizou no Brasil a Black Friday, dia em que o varejo promove descontos e promoções para queimar os estoques antes das vendas de Natal. O que muita gente não sabe é que a data por aqui acaba ofuscando outra celebração impactante que também tem sua origem nos Estados Unidos e acontece no dia anterior. O Dia de Ação de Graças é feriado tanto para os EUA quanto para o Canadá (ainda que comemorado em datas diferentes) e é uma tradição que vem da época de colônia inglesa.

Ler Mais

Dia Mundial da Pneumonia

O Dia Mundial da Pneumonia foi proposto pela Organização Mundial de Saúde (OMS) em 2.009, com o objetivo de conscientizar as pessoas sobre a importância da prevenção da doença, que continua sendo a principal causa de morte de crianças com até 5 anos de idade – mais de 2.000 morrem diariamente por pneumonia no mundo; as mais vulneráveis ​​vivem em comunidades rurais e pobres. As mais de 880.000 mortes de crianças ocorridas em 2.017, sublinham a necessidade de melhorar o acesso equitativo a cuidados, diagnósticos e tratamentos de qualidade.

Trabalhar ativamente para prevenir e tratar a pneumonia apoia o Objetivo de Desenvolvimento Sustentável 3: Garantir uma vida saudável e promover o bem-estar para todos em todas as idades, e em particular, o ODS 3.2 – acabar com as mortes evitáveis ​​de recém-nascidos e crianças menores de 5 anos até 2030 – objetivos que não poderão ser alcançados sem esforço e recursos contínuos para combater a pneumonia.

Ler mais

Mãe

São três letras apenas,

As desse nome bendito:

Três letrinhas, nada mais…

E nelas cabe o infinito

E palavra tão pequena

Confessam mesmo os ateus

És do tamanho do céu

E apenas menor do que Deus!

Para louvar a nossa mãe,

Todo bem que se disser

Nunca há de ser tão grande

Como o bem que ela nos quer.

Palavra tão pequenina,

Bem sabem os lábios meus

Que és do tamanho do CÉU

E apenas menor que Deus!

Mário Quintana