Dia Mundial da Terceira Idade

Este é o dia que tem como objetivo promover, informar e consciencializar para situações específicas e fatores que afetam os mais idosos, bem como sensibilizar para a necessidade de cuidarmos deles.

Em 2050, estima-se que 1 em cada 2 portugueses tenham 55 ou mais anos. Segundo dados da Eurostat Portugal, o nosso país será um dos países da União Europeia com maior percentagem de idosos e menor percentagem de população ativa, constituindo um verdadeiro desafio demográfico e económico.

Começamos a envelhecer a partir do momento em que nascemos e para se envelhecer bem é preciso melhor saúde, autonomia e independência. Mas para isso, devemos eliminar os preconceitos para com a idade. O preconceito da idade (ou idadismo) consiste numa atitude preconceituosa e discriminatória generalizada em relação aos indivíduos, tendo exclusivamente por base a característica da idade. 

Ler mais

Jardins de Santar

O jardim, localizado em Santar, uma vila portuguesa do Dão, foi o único projeto nacional distinguido pelo European Garden Award 2021 e foi destaque na revista “T Magazine”, do “The New York Times”.

Os jardins históricos de Santar foram distinguidos no prémio European Garden Award atribuído pela European Garden Heritage Network (EGHN) e a Schloss Dyck Foundation. Este prémio selecionou o Santar Vila Jardim como um dos três vencedores na categoria “Protection and Development of a Cultural Landscape” ( “Proteção e desenvolvimento de paisagens culturais”).

A atribuição deste prémio tem como base critérios como a utilização de métodos inovadores de implementação e gestão, a relevância para o desenvolvimento urbano, sustentabilidade ou envolvimento da comunidade, bem como a elevada qualidade na construção, restauro e manutenção.

Ler mais

 

Dia Mundial da Osteoporose

A osteoporose é uma doença em que há diminuição da massa óssea, o que faz com que os ossos fiquem mais frágeis, aumentando o risco de fratura. Na maioria dos casos, a osteoporose não leva ao aparecimento de sinais ou sintomas, sendo o diagnóstico realizado após a ocorrência de fraturas, por exemplo.

A osteoporose é muito associada ao envelhecimento, uma vez que com o passar dos anos o organismo perde progressivamente a sua capacidade em metabolizar e absorver o cálcio, por exemplo. No entanto, alguns hábitos de vida também podem influenciar na ocorrência da osteoporose, como o sedentarismo, má-alimentação e o consumo de bebidas alcoólicas.

Apesar dessa doença não ter cura, o tratamento pode ser feito com o objetivo de melhorar a qualidade de vida da pessoa e diminuir o risco de fraturas e de doenças associadas. É importante que a pessoa tenha um estilo de vida saudável, com a prática de exercícios físicos regular, além de também poder ser recomendado pelo médico o uso de suplementos ou medicamentos que ajudam no processo de reabsorção de cálcio e formação da massa óssea.

Ler mais

Dia Mundial da Menopausa

Hoje, 18 de outubro, assinala-se o Dia Mundial da Menopausa. Sendo a menopausa um marco crucial na vida da mulher, esta data foi criada com o intuito de alertar as mulheres para as mudanças que acontecem no seu corpo e para a importância do acompanhamento médico nesta fase das suas vidas.

A menopausa é um processo biológico natural da vida de todas as mulheres. Representa o fim das menstruações espontâneas e implica 12 meses consecutivos sem período menstrual. A idade da menopausa é muito variável, mas ocorre em média por volta dos 50 anos – quando acontece antes dos 40 anos é classificada como precoce. Trata-se de um processo fisiológico que se coaduna com a falência da atividade endócrina dos ovários e a sua incapacidade de produzir estrogénios. A ausência desta hormona explica grande parte dos sintomas típicos desta fase.

Ler mais

Dia Mundial da Lavagem das Mãos

O Dia Mundial da Lavagem das Mãos, celebrado a 15 de Outubro, visa chamar a atenção para o papel preponderante que a lavagem das mãos desempenha na prevenção de doenças e para salvar vidas.

O tema deste ano é “O nosso futuro está nas nossas mãos – avancemos juntos” reconhece que o movimento mundial que promove a lavagem das mãos constitui a principal forma de prevenir a transmissão da COVID-19 e realça a necessidade de continuar nesta dinâmica mesmo após a pandemia.

Apesar da atenção mundial dada à higiene das mãos, demasiadas pessoas no mundo ainda não têm acesso a água e sabão. Por exemplo, nos países africanos, apenas uma em cada quatro famílias possui instalações para lavar as mãos com água e sabão.

No quadro da resposta à COVID-19, os Estados-Membros, os parceiros e as comunidades estão a realizar investimentos para que mais pessoas possam lavar as mãos com frequência. Na maioria dos países, as autoridades instalaram dispositivos de lavagem das mãos em estações de autocarros, mercados e unidades de saúde. A Zâmbia foi mais longe, introduzindo postos móveis de lavagem das mãos com rampas e alavancas que as pessoas com deficiência podem facilmente operar com os joelhos, os pés ou as mãos.

Ler mais

Dia Internacional do Idoso

O envelhecimento da população mundial, é cada vez mais, não só um problema de saúde publica, mas também um problema social, económico, político, um desafio e uma oportunidade a resolver hoje e no futuro próximo.

Existem no mundo 600 milhões de pessoas com mais de 60 anos. Em 2025 este número será o dobro, ou seja, 1200 mil milhões. A União Europeia (UE) tinha a 1 de janeiro deste ano, uma população de 447 milhões de pessoas, das quais 10,3 deles em Portugal.

Segundo dados do Eurostat, Portugal é o segundo país na europa com mais idosos (22%) a seguir a Itália (23%), e será em 2050 um dos países da União Europeia com maior percentagem de idosos e menor percentagem de população ativa.

O Instituto Nacional de Estatística prevê igualmente que no ano de 2050, que um terço da população portuguesa seja idosa e quase um milhão de pessoas tenha mais de 80 anos. Estes cálculos são feitos com base na tendência de envelhecimento da população, resultante do aumento da esperança de vida e da diminuição dos níveis de fecundidade. Portugal é, no entanto, o país em que os idosos tem menor qualidade de vida, são mais frágeis e mais dependentes, condicionando um aumento dos custos com a saúde e com a dependência.

Ler mais

Por "Mário Pinto"